15.4.08

[...]

Pensei que fôssemos sóis: duas luzes eternas estendidas na imensidão do céu. Mas repenso e comprovo que somos sós: duas solidões efêmeras largadas na pequenez do nada.

[...]

2 comentários:

Lara disse...

Quanta propriedade para falar de amor. Só não pode parar. Quem conhece o ápice de se existir, tem de relatá-lo (se não, as pessoas esquecem, ou pensam que é lenda).

Abraços,
Lara.

FlaM disse...

Eu não sei quem é o outro, mas que vc é um solzinho lindo, isso é!
Um sol que ilumina e aquece com palavras...
bjs, f